Você deve possuir Flash 9 ou superior para visualizar este item!

Get Adobe Flash player


Partido Progressista SP

Histórico Político


 

 

Prefeito de São Paulo

Graças a esse êxito como administrador da Caixa Econômica Federal, em 1969, Paulo Maluf foi indicado pelo governo federal para ser o prefeito da cidade de São Paulo.

De 1969 a 1971 Maluf foi prefeito de São Paulo e, engenheiro, priorizou grandes obras, como o as avenidas marginais, quase cem pontes e viadutos, como o viaduto Antartica, a ponte do Morumbi, da Freguesia do Ó, Pinheiros, Tiete e do Limão.

Construiu o Elevado Costa e Silva, o Minhocão, a avenida Faria Lima, a avenida Caetano Àlvares, a Radial Leste, a avenida Cupecê, Juntas Provisórias, Ricardo Jafet.

Construiu a ligação Leste-Oeste, com passagem sob a Praça Roosevelt (que foi inteiramente reformada e reformulada por ele) e deixou quase concluído grande parte do complexo viário das avenidas Rebouças e Consolação.

Foi no governo de Paulo Maluf, como prefeito, que se iniciaram as obras do Metrô de São Paulo, com a escavação da linha Norte-Sul, na avenida Jabaquara.

Em sua administração foi inaugurado e Hospital Municipal do Tatuapé.

 

Secretário dos Transportes

Depois de ser prefeito de São Paulo, Maluf foi nomeado em 1971 secretário estadual dos Transportes no governo Laudo Natel, cargo que exerceu até 1975.

Nesse tempo, inaugurou a primeira linha do Metrô da cidade de São Paulo, instalou os primeiros trens da Fepasa, que unificou todas ferrovias do Estado de São Paulo, acelerou e terminou a construção da primeira pista da Rodovia dos Imigrantes, apressou a construção da Rodovia dos Bandeirantes e trabalhou na duplicação das rodovias Anhanguera e Washington Luiz.

Em 1976 voltou a Associação Comercial de São Paulo e em 1978 foi eleito Homem de Visão, pela revista Visão.

Em 1977 começou a articular sua candidatura ao governo de São Paulo e visitou todos os 1261 delegados de seu partido no estado, a então Arena, que votariam na convenção partidária e participariam da reunião do Colégio Eleitoral, que elegeria o governador.

O então presidente Ernesto Geisel escolheu Laudo Natel para disputar o cargo pela Arena e este, confiante no apoio do presidente, nem procurou os delegados do partido.

Na convenção da Arena, em 4 de junho de 1978, Maluf venceu por 617 votos contra 589.

Disputou então o cargo pela Arena e foi eleito governador no dia 1o.de setembro de 1978.

 

Governador de São Paulo

Como governador, 30 anos antes da descoberta de petróleo no Litoral Paulista, organizou a Paulipetro através de contrato de risco com a Petrobras, para descobrir petróleo em São Paulo. Encontrou gás na bacia do rio Paraná e não prospectou na bacia de Santos porque na época ainda não havia tecnologia para isso.

Inaugurou obras da Sabesp na capital no interior como os interceptores de esgotos do Rio Pinheiro, o Sistema Cantareira que abastece 10 milhões de habitantes, a primeira fase da Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri e a terceira fase da Estação de Tratamento de Água do Guaraú.

Expandiu a linha Leste-Oeste do Metro com as estações Pedro 2o., Brás, Bresser-Moóca, Belém e Tatuapé, para o lado leste. Para o lado oeste construiu a estação Anhangabaú, República e Santa Cecília.

Construiu a Rodovia dos Trabalhadores (hoje Ayrton Senna), a rodovia Mogi-Bertióga, a Ponte do Mar Pequeno, o Terminal Rodoviário do Tietê (até hoje o maior da América Latina) e deu inicio, em parceria com o Ministério da Aeronáutica, a construção do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Construiu as usinas hidrelétricas de Nova Avanhandava, Porto Primavera, Taquaruçu, Três Irmãos e Rosana e iniciou a concluiu o Canal de Pereira Barreto, ligando os rio Paraná ao Rio Tiete, para dar mais potência firme a usina de Ilha Solteira.

Em 1981 Maluf criou a Eletropaulo, após o seu governo adquirir a custo zero o controle da parte paulista da Light, num acordo com o governo federal.

Inaugurou e equipou o Instituto do Coração em São Paulo; colocou em ação em todo o Estado o policiamento ostensivo através da ROTA – Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar reduzindo a criminalidade em mais 90% em São Paulo.

Construiu em todo o Estado mais de 900 escolas e incrementou a uso da merenda escolar em todas as cidades.

Ampliou a rede de transmissão TV Cultura e 8 para 51 estações e 84 repetidoras.

Criou e implantou a secretaria da Cultura.

 

Deputado federal

Em 1982 deixou o governo de São Paulo para candidatar-se a Deputado Federal, sendo eleito em outubro daquele ano com 672.927 votos. Exerceu as funções na Câmara Federal de 1983 a 1987.

 

Prefeito novamente

Em 1992 Paulo Maluf é eleito prefeito e volta à Prefeitura de São Paulo, derrotando o senador Eduardo Suplicy no segundo turno das eleições.

Em seu segundo mandato como prefeito Maluf atingiu o mais alto índice de aprovação para a sua administração, 93% em dezembro de 1996, maior do que qualquer outro prefeito da história da cidade, graças a um grande programa de obras e de atendimento social.

Implantou o Projeto Cingapura para a construção de moradias populares, o Projeto Leve Leite para aumentar a frequência das crianças nas escolas e, ao mesmo tempo, ajudarem na alimentação de suas famílias. Criou e implantou o PAS – Programa de Assistência à Saúde, que ofereceu a população, a partir de 1995 todo tipo de atendimento e cuidados médicos.

Tomou decisões polemicas e corajosas que proibiram fumar em restaurantes, tornaram obrigatório o uso do cinto de segurança nos veículos de São Paulo – a primeira cidade do Brasil em que isso aconteceu – acabou com as atividades da CMTC, que gastava USS 1 milhão por dia dos cofres municipais e não atendia a demanda de transporte público da população.

Tal como havia feito no Estado, Maluf criou também no município a Secretaria da Cultura, que realizava mais de 900 espetáculos por mês para a população.

Maluf retomou também a realização de obras na cidade, gerando empregos de tal forma que a Prefeitura tornou-se a maior empregadora no país no ramo da construção civil. Construiu os túneis Janio Quadros, Ayrton Senna, Sebastião Camargo, Tribunal de Justiça, Mackenzie e Maria Maluf, a passagem Tom Jobim, a passagem Euricledes de Jesus Zerbine, o viaduto Bernardo Goldfarb, a avenida Água Espraiada (que entre outras coisas removeu do local a maior favela da cidade), construiu a avenida Jacu-Pessego, a nova avenida Faria Lima, a ponte Julio de Mesquita Neto, a avenida Escola Politécnica, o Complexo Viário de Engenharia Makenzie.

No seu governo foram construídos também os viadutos República da Armênia, José Colassuono e Cassiano Gabus Mendes.

Maluf foi o primeiro prefeito do Brasil a instalar computadores nas escolas publicas, com 400 laboratórios.

Construiu corredores e os terminais de ônibus João Dias, Parque Don Pedro 2o., Praça da Bandeira, Penha, Cidade Tiradentes, Princesa Isabel e Capelinha.

Em março de 1999, mais de dois anos depois de ter deixado a Prefeitura de São Paulo, foi apontado em pesquisa do Instituto Datafolha como o melhor prefeito que São Paulo já teve.